Imprimir

Direção do Sindijus orienta servidores a acompanharem o Pleno do dia 18

.

Todos ao Pleno 750x510O desembargador Osório de Araújo Ramos Filho informou que levará projeto de reajuste de 3,5% no salário base dos servidores e cargos em comissão para votação na próxima sessão no Pleno do TJSE, que ocorrerá nessa quarta-feira, dia 18 de dezembro, a partir das 8 horas, no Palácio da Justiça.

A postura unilateral da gestão desconsidera o ambiente de negociação que foi propagado durante todo o ano como um espaço que resultaria na valorização dos trabalhadores que fazem o tribunal mais qualificado do país. A proposta de 3,5% representa R$ 66 para servidores efetivos e R$ 551 para cargos em comissão especiais, aumentando as distorções internas entre efetivos comissionados e juízes.

Diante da iminência da aprovação do projeto e da ausência de diálogo da gestão sobre as demais reivindicações da pauta da categoria protocolada no dia 27/11, a direção do Sindijus orienta os servidores e servidoras do TJSE a comparecerem ao Pleno, a partir das 8 horas, dessa quarta-feira. A fim de acompanhar se haverá avanço no diálogo e avaliar as próximas ações da categoria que acumula perdas salariais e recebe um dos piores salários do Brasil.

 

Orientações

A direção do Sindijus esclarece que a ida ao Pleno ainda não representa uma paralisação das atividades, o que não está descartado de acontecer após o recesso, em janeiro. Dessa forma, orienta-se aos servidores a negociarem folgas ou compensação do dia não trabalhado com as chefias imediatas. Em caso de infrutífera a negociação, o servidor que comparecer à sessão do Pleno e tiver o ponto cortado, o sindicato irá fazer o ressarcimento, condicionado aos limites do Fundo de Greve, Mobilização e Luta.

Os companheiros (as) residentes nas cidades do interior que necessitam de apoio com transporte no deslocamento para comparecerem ao Pleno, devem entrar em contato com a Coordenação de Administração e Finanças do Sindijus a fim de combinar antecipadamente os ajustes necessários.

 

Não dá mais para esperar.

Tá na hora de exigir justiça!