Imprimir

Edson Ulisses causa irritação dos servidores do TJSE nas redes sociais no dia dos trabalhadores

.

Na véspera do Dia do Trabalhador, 1º. de maio, data simbólica para a organização da classe trabalhadora, o Presidente do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE), desembargador Edson Ulisses, publicou no site do tribunal uma matéria que aponta as conquistas dos servidores, alcançadas em outras gestões após muita luta e mobilização da categoria, como “benesses”, numa tentativa de deslegitimar a necessidade de valorização salarial.

Mas o tiro saiu pela culatra. A publicação gerou uma forte reação dos servidores que, indignados, teceram críticas justas diante da “propaganda enganosa” da Presidência do TJSE. Como a página do TJSE não possui espaço para comentários, a avaliação da categoria ecoou nas redes sociais do Sindijus, onde a matéria foi replicada, e até o momento atingiu mais de três mil pessoas, das quais mais de 150 deixaram seus comentários.

A matéria repete a mesma interpretação equivocada sobre a Lei 173 já apresentada pelo presidente Edson Ulisses nas negociações com a direção do Sindijus, para tentar justificar o congelamento da carreira e dos salários dos servidores. O texto também apresenta informações confusas sobre direitos dos servidores, omite valores e, em alguns momentos, se distancia da verdade, como quando alega limitações da Lei de Responsabilidade Fiscal.

“A gestão do Tribunal se utilizou de resultados obtidos em outras gestões como forma de se esquivar da responsabilidade para com a categoria. O Presidente precisa resolver os problemas presentes, garantido a reposição inflacionária dos servidores e o descongelamento da carreira, para cumprir a Constituição Federal e a legislação estadual. Também precisa projetar o futuro, para provar sua boa vontade e humanismo, e não falar nas conquistas passadas”, destacou Jones Ribeiro, coordenador geral do Sindijus.

“Os avanços, no decorrer dos últimos anos, foram conquistados com muita de luta. No dia do trabalhador a gestão do tribunal deveria ter anunciado que cumpriria a Constituição Federal, que assegura a revisão anual da inflação aos servidores públicos. Como não fez, está na hora de negociar com o Sindicato de fato. Se o tribunal de SC já sinalizou a revisão dos servidores, a lei é diferente apenas em Sergipe?”, questionou o técnico judiciário Ednaldo Martins.

“A atual gestão deve se preocupar com as nossas atuais perdas salariais e o congelamento de nossas carreiras. Que seja selo diamante também na valorização dos servidores”, completou o servidor Gllens Lima, em seu comentário nas redes sociais do Sindijus.


Reposição inflacionária não é favor

“É triste ver o Tribunal achar que faz favor por cumprir sua obrigação como um órgão representante da justiça. Quem trabalha tem DIREITO a receber e a ser reajustado. Estamos aguardando que seja cumprida a Lei e haja a reposição da inflação esse ano”, apontou a servidora Michelle Cunha, ao questionar o mérito de cumprir a legislação. “Muita tristeza com este posicionamento. Não estamos pedindo esmola e sim o que temos direito”, completou Clotildes Da Costa Ramos.

Discurso humanista

O servidor Braz Júnior, chama a atenção para a incoerência da gestão, que publicamente tem sustentado um discurso humanista, mas que até o momento não tem demonstrado essa solidariedade com os servidores. “Essa é a gestão que disse que estaria aberta ao diálogo com todos e que se preocuparia com o lado humano das pessoas? O que tem de humano em tal postura de negar os direitos e a valorização dos servidores concursados? Não faz nada pelos servidores e se apega a conquistas passadas de outras gestões. Essa vai ser a gestão da inércia e da mentira?” questionou.

Justiça para quem faz justiça

Diversos comentários fizeram o contraponto entre a avaliação do trabalho dos servidores, cujo trabalho elevou o TJSE ao patamar de um dos mais eficientes do país, e a desvalorização salarial. “Lamentável o posicionamento do presidente! Falam tanto em parceria no momento de conquistar as metas, mas na hora de realmente demonstrar apreço pela classe é isso que recebemos! Vamos à luta!”, destacou a servidora Vera Cristina.

“Infelizmente não me sinto valorizada! Já percebi claramente a defasagem do meu salário diante da AUSÊNCIA do reajuste inflacionário na atual gestão do TJ. Em contrapartida vejo o alto valor dos alimentos, do combustível, os gastos domésticos aumentarem. Diante do que até o momento pude compreender é que revisão salarial em virtude da inflação não está proibida legalmente. Penso que o TJ SERGIPE possui competentes PROFISSIONAIS e sabemos o quanto temos de direitos a serem respeitados! Aguardo ainda em 2021 dessa atual gestão do TJ JUSTIÇA SALARIAL!”, avaliou a analista Sonale Freitas, coordenadora do Sindijus.

Confira a publicação nas redes sociais do Sindijus: Facebook ou Instagram.