Imprimir

Edson Ulisses diz que seu mandato pretende elevar o TJSE no podium do Judiciário nacional

.

Uma gestão marcada pela busca do melhor para o Poder Judiciário e pelo diálogo com todos que fazem o tribunal, inclusive com os servidores. São compromissos firmados pelo desembargador Edson Ulisses de Melo, no seu discurso de posse como novo presidente do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE), em solenidade realizada nessa segunda-feira, 01.

“Nosso projeto de gestão envolve o diálogo franco e aberto com todos, servidores, magistrados, fornecedores e sociedade na busca pelo melhor para o Poder Judiciário sergipano. (...) Somos destaque nacional como um dos melhores tribunais do país. Graças a esta competente equipe que compõe o Tribunal de Justiça de Sergipe”, afirmou.

Com um discurso humanizado - raramente visto no tribunal tradicionalmente autoritário - o novo presidente defendeu a concepção de que o juiz é um ser social e deve conhecer as alegrias e anseios da sociedade.

“Dirigir um Poder exige dos seus condutores equilíbrio, diálogo e habilidade na condução de seus destinos, respeitando seus valores e seus objetivos. Para isto, faz-se necessário contar com a força viva de todos que o integram, dos mais humildes dos servidores aos mais graduados de seus integrantes, além da participação e compreensão de todos”, completou o presidente.

Edson Ulisses também registrou que um dos objetivos estratégicos do seu mandato é garantir que o TJSE se torne um órgão de vencedores, posicionado no topo do Judiciário brasileiro. "Planejamento estratégico elaborado para o quinquênio vindouro, extraído os eixos para a gestão pretendida, cujo resultado exitoso pretendemos alcançar para continuarmos elevando cada vez mais o lugar do TJSE no podium do CNJ, destinado só aos vencedores," promete.

A direção do Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário de Sergipe (Sindijus) já havia protocolado um ofício solicitando reunião com o desembargador, antes mesmo de sua posse e aguarda a abertura de diálogo urgente com a categoria.

“O desembargador Edson Ulisses mostra que está aberto ao diálogo e nós, servidores, também. Lamentavelmente o contexto criado por seu antecessor é muito grave e já causa prejuízos diários na vida dos servidores, que estão com o poder aquisitivo dos salários reduzido. Aguardamos, com esperança, que possamos reverter imediatamente essas ilegalidades: o descumprimento da revisão salarial e a suspensão da carreira. Tão logo sejam resolvidas essas urgências, queremos dialogar com tranquilidade sobre a pauta histórica da categoria e contribuir muito para que a gestão seja êxitosa", apontou o coordenador geral do Sindijus, Jones Ribeiro.

Transparência

Ao defender a transparência, o novo presidente do TJSE disse que “o exercício do poder deve ser feito com clareza, de forma transparente, para que todos saibam e conheçam as ações dos que o exercem. É por isto que o sistema jurídico impõe que seus atos sejam vistos por todos, e que todos possam cobrar sua retidão”.


Pandemia

O novo presidente também foi categórico em se opor aos "negacionistas" e afirmar que a pandemia ainda não acabou. “A nova onda do coronavírus toma conta do Brasil e do mundo, agora com disfarce, mais perigoso, com novas cepas, disfarçando-se e tornado mais difícil o seu combate, apesar das vacinas, ainda em volume deficitário, insuficiente ao atendimento das demandas da população”, alertou.

A coordenadora geral do Sindijus, Sara do Ó, lembra que a entidade sindical também tem interesse em dialogar sobre o Protocolo de Retorno das Atividades Presenciais no TJSE, que foi sucessivamente descumprido pelo ex-presidente do tribunal, Osório Ramos Filho. "O presidente Edson Ulisses é conhecedor dos direitos humanos, por isso temos muita expectativa que a sua gestão será atenciosa com o principal patrimônio do tribunal, os recursos humanos, que somos nós! Além da valorização tão adiada, queremos garantir condições de trabalho e de segurança, principalmente prevenir o contágio da COVID-19 entre os servidores e todos sujeitos sociais que frequentam o tribunal", deseja a representante dos trabalhadores.