logo mobile

Imprimir

Sindijus apresenta à Presidência do TJ os encaminhamentos da categoria na última Assembleia

.

Categoria aprovou manutenção da campanha salarial que alerta a sociedade sobre os estragos causados pelo ‘monstro da inflação’

ofiico10fev 750x510

 

Na quarta-feira (09), a Diretoria do Sindijus protocolou junto à Presidência do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE) as decisões aprovadas pelos servidores efetivos em Assembleia Geral, realizada na terça-feira (08), quando os trabalhadores avaliaram o andamento da negociação salarial com o presidente do órgão, o desembargador Edson Ulisses.

No ofício, a entidade solicita a marcação de uma nova rodada de negociação e reitera o apoio da categoria pela reposição imediata de 12,61% - relativo ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) dos últimos dois anos - nos vencimentos base dos mais de 2.300 efetivos. Na argumentação apresentada, o Sindijus relembra que há, sim, condições orçamentárias e legais para a medida.


Conheça, a seguir, os encaminhamentos informados ao presidente do TJSE:


1) Vencimento básico – a categoria reitera que os esforços devem ser feitos para assegurar a revisão integral de 12,61%:

a) o orçamento do TJ teve crescimento de R$ 41 milhões, neste ano;

b) o planejamento estratégico do órgão reconhece a necessidade de valorizar os cargos efetivos;

c) existem despesas dispensáveis que, se cortadas, podem ajudar na garantia da revisão integral, como a gratificação de acervo processual e a venda de férias de magistrados;


d) a Presidência pode congelar os salários dos cargos em comissão neste momento e se comprometer a não conceder nenhum reajuste desta ordem durante todo este ano de 2022;



2) Auxílios saúde e alimentação – a categoria solicita que, durante o decorrer do ano, seja reavaliado o atendimento da pauta de reivindicações com base na evolução da arrecadação do FERD:


a) Foi reconhecido o avanço nas contrapropostas apresentadas por Vossa Excelência, no último dia 02. Mas a pauta de reivindicações não foi atendida:

  • Saúde: categoria requer 15,61% de revisão e contraproposta foi de 10 a 12% de revisão;
  • Saúde: não foi criada a faixa especial para aposentados;
  • Alimentação: categoria requer valor de R$ 1.900,00 e contraproposta foi de R$ 1.203,00;



3) Auxílio-creche – É uma das reivindicações da pauta da categoria, a qual vê com bons olhos a sinalização da criação. Nesse sentido, os servidores solicitam que seja levado em conta o valor por nós requerido, que é de R$ 619,05 e que teve como base a média daquilo que é pago em outros Tribunais;



4) Bolsa-estudo – a categoria solicita:


a) informações preliminares sobre o conteúdo da proposta, a fim de subsidiar o debate coletivo dos servidores;


b) que a proposta não seja analisada de maneira isolada e que leve, sim, em consideração as outras reivindicações similares, como o nível superior do técnico judiciário, o adicional de nível superior de técnicos e agentes e a aumento do percentual dos adicionais de pós-graduação, mestrado e doutorado.



5) Por fim, esta categoria solicita a criação de um espaço permanente de diálogo com a gestão, a fim de construir consensos sobre outros direitos de importância para os servidores efetivos do órgão.



:: Clique aqui para conferir o documento