Imprimir

Sindijus e Presidência do TJ reúnem-se nessa quarta para discutir valorização dos servidores

.

Banners relógio 750x510 1

 

A diretoria do Sindijus vai se reunir com o presidente do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE), Osório Ramos Filho, na tarde desta quarta-feira, 12, com o objetivo de retomar a negociação da pauta dos servidores que fazem do Judiciário sergipano o melhor do país. O principal assunto será a reposição inflacionária integral do vencimento base, dos auxílios e da indenização de transporte.

A reunião vem sendo solicitada pela entidade sindical desde o final do ano passado, quando as negociações foram interrompidas pela Presidência do TJSE que, de forma precipitada, encaminhou um projeto de reajuste salarial de 3,5% ao Pleno sem consenso com os servidores.

Passado o recesso forense, foi comprovado que as estimativas da gestão do tribunal falharam. A inflação acumulada em 2019 foi 4,48%, causando a redução de 1% no poder aquisitivo dos trabalhadores - conforme a direção do Sindijus já havia alertado aos desembargadores no Pleno - além das perdas de 7,4% já pendentes de outros períodos.

Enquanto os servidores acumularam perdas salariais nesse início de ano, a gestão do TJSE continuou a pagar supersalários a alguns juízes, que chegaram a mais de R$ 100 mil, e iniciou o pagamento da gratificação de acúmulo de acervo, de até R$ 5 mil, causando repercussão na imprensa e mais indignação dos trabalhadores.

Nas reuniões recentes da Assembleia Geral, os servidores definiram como prioridade exigir a reposição inflacionária integral das reivindicações obrigatórias que constam na pauta, que são: vencimento base, indenização de transporte, auxílio saúde e auxílio alimentação. No auxílio alimentação, o pleito total da categoria é aumentá-lo para R$ 1.761,20, incremento que pode ser financiado pelo FERD. Outro tema que já está possui discussões avançadas é o aumento do valor das ações de treinamento, de 1% para 2% a cada 120 horas.

Esses são os temas que devem ser encaminhados nessa primeira reunião de 2020, em busca de repor imediatamente as perdas salariais e de reestabelecer a continuidade do diálogo sobre as outras demandas que possibilitam valorizar os servidores efetivos.