logo mobile

Imprimir

Sindijus encaminha posicionamento da Assembleia Geral aos desembargadores do TJSE

.

Categoria consensuou contraproposta de revisão de 6% nos vencimentos, com o compromisso de que negociação seja mantida para quitação do saldo da dívida e debate sobre restante da pauta

Ofício 750x510
Nesta terça-feira (22), o Sindijus entregou aos desembargadores do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE) a decisão da Assembleia Geral dos servidores efetivos, realizada na última semana, na qual foi acatada a contraproposta de revisão salarial feita à categoria pelo presidente do órgão, o desembargador Edson Ulisses.

Os trabalhadores e trabalhadoras avaliaram que apesar do avanço no que diz diz respeito à reposição parcial das perdas inflacionárias, inclusive com o pagamento retroativo a janeiro, é imperativo que o saldo da dívida – de 6,61% nos vencimentos básicos - seja pago o quanto antes. Para tanto, a entidade continuará acompanhando o desempenho da arrecadação do Tribunal.

Ademais, não houve consenso no que diz respeito aos 3% concedidos aos cargos comissionados (CCs). Os servidores entendem que houve, de fato, um avanço ao se conceder percentuais diferenciados. No entanto, é mantida a defesa de que o valor gasto com comissionados, especialmente os CCEs, poderiam ser investidos na quitação da dívida com os efetivos.


Indenização de transporte

Também foi encaminhada a ressalva da categoria ao fato de que não houve avanço na atualização do valor pago pelo TJSE na indenização de transporte. Esse é um direito assegurado aos oficiais de justiça e dos executores de mandado, que não é revisado desde 2018. De lá para cá, houve um aumento acumulado de 80,30% nos preços dos combustíveis. Por isso a categoria solicita que o valor da indenização passe dos atuais R$ 444,46 para R$ 801,18.


:: Clique aqui para ler o documento